sábado, 26 de junho de 2010

* Seia Anos de Namoro *


Era uma vez uma sala de aula de cursinho de pré-vestibular no escuro, havia faltado energia nessa noite, eis que surge em meio aquela escuridão um menino. E não é que ele senta ao lado da menina magrinha, de cabelos lisos e com mechinhas loiras, e eles começam a conversar aquela conversa típica de cursinho:
- Você estuda onde? (Ela)
- No Álvaro Adolfo e você estuda onde? (Ele)
E ela responde:
- No Rodrigues.
E assim começa um conto de fadas que já dura seis anos.

Tá bem exagerei na parte do conto de fadas, mas bem que poderia ser se não fosse o fato de não está usando um vestido lindo e azul de princesa e ele não ter chegado em um cavalo branco, vale ressaltar ele que ia de bicicleta pro cursinho.
Usando aquela velha frase: “Parece que foi ontem”, mas hoje faz seis anos que estamos juntos, mesmo estando em estados diferentes (Pará e Amazonas), eu prefiro usar o termo estar junto a namorando, por que é isso que ele (Edcarlos pra quem não conhece esse é o nome do meu namorado) representa pra mim - UM COMPANHEIRO. Ora amante, ora amigo, mas sempre ele com seu jeito calmo e paciente (e haja paciência comigo) ao meu lado nos momentos mais difíceis, e nos alegres também. Quando o conheci ambos vivíamos relacionamentos conturbados e imprecisos quanto ao futuro, e foi como uma dádiva divina um conhecer ao outro naquele momento, estávamos precisando curar as feridas que o relacionamento anterior nos havia causado, mas não foi assim como num passe de mágica que nos apaixonamos, até por que as feridas ainda se cicatrizavam, foi aos poucos, na medida em que íamos nos conhecendo e descobrindo como éramos diferentes um do outro,  e como essas diferenças nos completava. Passamos dez meses nos conhecendo para então começarmos a namorar, um começo de namoro um tanto diferente (fui eu que o pedi em namoro) dentro do carro em frente a minha casa depois de uma festa junina na faculdade (26/06/2005, já sei vocês dizer que então não são seis anos, e sim cinco, mas é que como passamos quase um ano “nos conhecendo” fizemos uma assembleia e decidimos que contaríamos de quando nos conhecemos e não de quando começamos a namorar, entenderam né ?). E desde então estamos juntos, apesar da distância e da dificuldade de ser manter um namoro à distância, porque vou falar uma coisa, ô povinho pra ser do contra, vez ou outra tem um espírito de porco dizendo que não vai dar certo que já viveu isso ou conhece alguém que viveu e no final não deu certo, dar vontade de socar a criatura, mas vocês me conhecem sou contra violência e um tanto irônica . 
Durante seis anos se tem muita história pra contar, lembro de cada coisa que já vivemos juntos, do primeiro beijo (em frente a uma lojinha perto de casa, ele tava com uma camisa amarela), do primeiro presente de aniversário que ele me deu (uma Hello Kit de pelúcia que eu odiei, e nem consegui disfarçar na hora, desde lá sempre compramos juntos meus presentes), da primeira vez que minha mãe o viu e comentou com minha irmã que ele usava brinco, das inúmeras vezes que antes de sairmos e ele olhou pra mim e disse que estava linda (isso para uma mulher vale muito), das mensagens no celular dizendo EU TE AMO, das ligações noturnas pra dizer que estava com saudade (sendo que ele acabara de sair da minha casa), das caretas que sempre fazemos nas fotos, sem falar das pizzas que comemos juntos (e como comemos), dos micos, das brigas que terminavam beijos, das festas que acabavam em um motel, dos natais, páscoas, dia dos namorados (Esse foi o primeiro ano que passamos separados) e tantas datas comemorativas que já passamos juntos, são tantas lembranças que nem conseguiria escrever todas, e o melhor de tudo é que só tenho lembranças boas desses anos juntos, por que as tristes são tão insignificantes que nem merecem ser lembradas.
Não sei se ele é minha alma gêmea, mas se não for deve ser pelo menos irmã da mesma. Nos completamos exatamente onde somos tão diferentes, um gosta de mato, verde, adrenalina, o outro gosta de asfalto, prédios, e é sem dúvida sedentário, nem preciso dizer quem é quem...
E lá se vão seis anos de convivência, amor, carinho, companheirismo, amizade, doação, sentimentos, emoções, alegrias, beijos, risos, felicidade, abraços, compreensão, dedicação, sexo, alegria, viagens e tanta coisa boa. E que esses seis anos se multipliquem em doze, dezoito, vinte e quatro e assim por diante.

Como num filme, no final tudo vai dar certo
Quem foi que disse que pra tá junto precisa tá perto”
(Darvin – Pensa em Mim)

P.S. : Acho nunca escrevi um post tão grande, isso sempre é caracteristica da minha amiga blogueira Carlinha, mas valeu a pena.

2 comentários:

Srta. Suka disse...

eita amiga bote grande... mas o amor é dessas, ele nos enche de vida... e nos faz felizes como gaivotas em voo calmo.. amiga q se multiplique os anos, gsto mto desse rapz, é um namorado de ouro, e inda dá carona pras amigas da namorada, gente finerrima

Carla Leão disse...

Amiga, e tenho certeza que escreverias um texto maior se fosses tentar lembrar de tantas outras coisas que esse sentimento nos proporciona! Fico feliz mesmo ao saber que vcs estão conseguindo vencer essas barreiras, logo, o amor de vcs só tende a aumentar!
Aqui fica a torcida para que td de certo!

Beijocas, mtas saudades.